Fotógrafo microempreendedor: 3 sinais de que você pode falir

Sempre ouvimos que o planejamento estratégico é algo que deve ser praticado por qualquer empresa, certo? Então, quem pensa que esse processo é exclusivo para as grandes companhias e que não deve ser praticado por um fotógrafo microempreendedor, como nós, está bem enganado.

Isso mesmo, você fotógrafo microempreendedor, profissional liberal, autônomo precisa agir estrategicamente também, caso contrário corremos sério risco de falir. Sim, falir!

Afinal, a falta de planejamento faz com que você “dê tiros no escuro”, trabalhe sem um propósito bem definido e não conheça as oportunidades que podem trazer lucros para o seu negócio, nem as ameaças que precisam ser evitadas.

Mas não se preocupe! Neste post, eu vou te contar quais são os três sinais que mostram quando um fotógrafo microempreendedor está correndo risco de falir Assim, você poderá ficar alerta para identificá-los e corrigi-los a tempo. Não deixe de conferir!

1. Endividamento grande

É normal que, por despreparo financeiro, nós, fotógrafos microempreendedores acabemos nos endividando para comprar boas câmeras, lentes, equipamentos para estúdio, montagem de cenários para fazer fotos etc.

É claro que você pode fazer financiamentos e buscar recursos financeiros com instituições bancárias para investir em infraestrutura, mas precisa sempre ter a certeza de que conseguirá pagar o compromisso assumido.

Segundo uma publicação do portal Administradores, empresas nas quais o nível de endividamento é até duas vezes superior ao faturamento mensal, as chances de falência são grandes. Por isso, é preciso ter cuidado.

2. Concentração de dívidas

As dívidas adquiridas como complemento do capital próprio, com o objetivo de expandir o negócio podem ser saudáveis, mas requerem atenção.

Isso se justifica pelo fato de que, com planejamento, você pode lucrar mais do que o básico e assim pagar um empréstimo adquirido no banco, por exemplo.

No entanto, as dívidas concentradas em curto prazo e que foram adquiridas para pagar outras dívidas, podem acabar gerando uma bola de neve. Assim, se você não conseguir se livrar de suas contas, o risco de falir é real.

3. Baixa rentabilidade

Um dos três sinais de você pode falir é não ter clientes ou ter um número de trabalhos muito pequenos no mês, pois sem faturamento, não tem como pagar as despesas do negócio, incluindo salários e nem ter lucro.

Para ser um fotógrafo de sucesso e conseguir viver de fotografia, é preciso ter uma boa rentabilidade. Para isso, você precisa fazer um bom acompanhamento do fluxo de caixa, controlar as finanças, destinar verba para investimento em marketing etc.

Quando as despesas pessoais e as das empresa se misturam,a rentabilidade fica comprometida, já que não se sabe o que é salário, o que é lucro e o que é capital de giro, por exemplo. Essa “mistura” pode ser fatal para o seu negócio.

Entenda como fazer o planejamento estratégico sendo um fotógrafo microempreendedor

Bom, acho que já ficou claro porque o planejamento estratégico é a palavra-chave para que um fotógrafo microempreendedor seja bem sucedido e não corra o risco de falir, certo? Mas como fazer esse planejamento, na prática? Veja esse passo a passo que eu preparei para você:

Identifique as diretrizes organizacionais do seu negócio

As diretrizes organizacionais nada mais são do que os elementos que norteiam a cultura do seu negócio. A missão, a visão e os valores do seu negócio.

A missão precisa dizer o que você é e o papel que pretende desempenhar, a visão demonstra onde você quer chegar em determinado período e os valores são princípios morais e éticos nos quais você acredita.

Esses itens são essenciais para nortear todas as estratégias que serão definidas na etapa seguinte.

Desenvolva uma análise SWOT

A análise SWOT prevê o levantamento das informações internas da sua empresa, pontos fortes (strengths) e pontos fracos (weakness), e das informações externas, oportunidades (opportunities) e ameaças (threats).

A ideia é que você possa, com base nesses dados, desenvolver estratégias que aproveitem ao máximo os seus pontos fortes e amenizem os seus pontos fracos. Ao mesmo tempo, você precisa aproveitar as oportunidades do ambiente em que está inserido e se prevenir de ameaças. Sim, dá um pouquinho de trabalho fazer essa análise pela primeira vez, mas depois vai ficando mais simples.

As estratégias geradas pela análise SWOT devem envolver todas as áreas do seu negócio, como o financeiro, o marketing, a comunicação estratégica e a administração geral. Ela deve ser refeita periodicamente, por exemplo, duas vezes ao ano, já que com o passar do tempo o mercado muda e você também, certo?

Defina metas quantificáveis para as suas estratégias

Todas as estratégias que você gerou na etapa anterior do planejamento precisam ter metas quantificáveis. Por exemplo, se você tem uma ação que prevê a divulgação dos seus serviços de fotógrafo com apoio do marketing digital, precisa ter uma meta, que pode ser atrair uma quantidade X de clientes em um período Y.

Assim, você poderá acompanhar os resultados do seu negócio e compreender o que está sendo positivo e o que não está. No caso de as metas não serem cumpridas, você pode rever a estratégia e adotar novas táticas para que não corra o risco de ir à falência por insistir em ações ineficazes.

Crie um planejamento

Além da análise SWOT, outra ferramenta que pode garantir o seu sucesso como fotógrafo microempreendedor é o planejamento documentado, registrado por escrito, e não apenas na sua cabeça. Trata-se de um documento que apresenta a viabilidade de uma empresa, nos pontos de vista estratégico, financeiro, de mercado e de operações.

O planejamento deve ser apoiado em um estudo detalhado dos serviços que você oferece, do que necessita para executá-los, quais são as suas estratégias promocionais, entre outros pontos relevantes.

A ideia é que você tenha uma espécie de mapa que guie toda a sua trajetória como empreendedor. Isso é útil para que você possa estar sempre preparado para dar o próximo passo no seu negócio e também compreender quando deve recuar e aguardar um pouco para avançar.

A fase de planejamento vai exigir algumas horas de dedicação, mas confie em mim: a partir dele você vai economizar muito tempo e “neurônios” depois. Vale a pena fazer!

E então, meu colega fotógrafo microempreendedor, você conseguiu compreender quais são os principais sinais que indicam que você pode falir? Espero que as minhas dicas tenham sido úteis e que você consiga, com base no planejamento estratégico, evitar essa situação delicada e guinar o seu negócio.

O planejamento de marketing também é fundamental para o nosso sucesso profissional, como fotógrafo microempreendedor, por isso recomendo que você também leia o meu artigo sobre “Plano de marketing na fotografia: por que você tem medo?”.

até a próxima

Silvia

GOSTOU?
Que tal compartilhar?
Share on FacebookPin on PinterestGoogle+
Leia também esses posts

Comentários

comentários