Onde foi parar minha criatividade na fotografia?

Trabalhar com o que se ama é maravilhoso e inspirador, não é? Ainda mais trabalhar a criatividade na fotografia. Mas todo mundo tem aqueles dias sem brilho e improdutivos, que chegam a convencer que você foi infeliz na sua decisão.

Esses dias, que já começam com a cara de que não irão render nada, fazem você questionar se realmente fez a escolha certa em investir no seu sonho, certo? Se você respondeu sim para as duas questões, saiba, isso é absolutamente normal!

A criatividade é dependente de um pouco de espaço para se expressar, e uma mente focada em preocupações, prazos e stress geralmente sabotam o processo criativo. Quem nunca travou na hora de fotografar, por exemplo e entrou em crise existencial por isso? Mas vou te explicar o porquê disso acontecer com os melhores profissionais!

Em profissões ditas tradicionais, a maioria das demandas não precisam de estímulos criativos para serem cumpridas. Mas se na sua profissão o seu coração precisa bater mais forte para tudo acontecer, é natural que tenham momentos menos inspirados. O importante é saber o que fazer com eles.

O primeiro passo para se livrar dessas travas é entender e assumir que é natural passar por fases assim. A maioria dos artistas passam pelas fases chamadas “sabáticas” e as respeitam, como forma de não minar o seu processo criativo. Se você não tem opção e sua demanda profissional é para ontem, algumas dicas podem te ajudar a se auto estimular.

1. Seja otimista

A ciência já comprovou que o pensamento negativo tem mais força que o positivo. Se você o potencializar, já pensou no poder que ele terá na sua mente? Para cada pensamento de desânimo e ansiedade, responda com uma constatação positiva.

2. Se permita

Se você sente que, naquele momento de rendimento baixíssimo, a tendência é só piorar, se perdoe. Levante, pegue um ar, faça algo bem estimulante, como comer algo gostoso ou esfriar a cabeça de qualquer maneira, e retome no momento em que achar que está suficientemente livre para produzir. Não adianta forçar a barra!

3. Se distraia

O que você gosta de fazer quando está nas horas de folga? Ler um livro, dançar, ouvir música, ver filme, ir ao shopping? Tem inúmeras possibilidades, o importante é fazer algo que você esteja 100% presente. Aquele ditado, se entregar de corpo e alma, é a mais pura verdade. Se entregue e deixe fluir. Às vezes mudando um pouco o foco você consegue excelentes ideias.

A sua criatividade está no mesmo lugar, só precisa de estímulos para ser aflorada. Saiba a sua identidade como profissional e exercite-a, que sem dúvidas seu trabalho voltará a fluir. Se você tiver algo que funcione para você, coloca aqui nos comentários! Tenho certeza que poderá ajudar também mais pessoas a exercitar a criatividade.

 

 

 

até a próxima

Silvia

GOSTOU?
Que tal compartilhar?
Share on FacebookPin on PinterestGoogle+

Comentários

comentários