5 dicas para você se organizar financeiramente

Como já conversamos várias vezes, quando você trabalha sozinho, torna-se uma empresa. Sei que é pequena, mas mesmo assim, é uma empresa – tenha consciência disso. Portanto, toda a gestão do lucro do mês deve ser muito bem planejada, ou seja, você não pode retirar 100% do dinheiro para você!

Para quem está começando agora, costuma ser difícil saber como se organizar financeiramente, já que nem sempre os meses vão render o valor desejado. Há certas despesas que podem fugir do controle e, por isso, é importante mapear quais os possíveis gastos que você vai ter para não ser pego de surpresa. Uma boa dica aqui é conversar com quem tem experiência no segmento em que você vai atuar e trocar uma ideia.

Há meses com alta demanda de clientes e, claro, um lucro maior para sua empresa. No entanto, você deve se prevenir para a época em que os pedidos forem menores. Afinal, sua empresa não pode parar, não é verdade? E contratempos costumam acontecer em qualquer negócio.

Quer entender como se organizar financeiramente sendo um profissional autônomo? Confira minhas 5 dicas para manter seu fluxo de caixa sempre positivo:

1. Tenha um sistema de gestão

Para não se atrapalhar durante o planejamento, conte com um sistema de gestão. Ele facilita o controle diário de entradas e saídas de dinheiro do seu negócio.

Você pode até usar uma planilha e inserir manualmente os valores, mas um sistema de gestão é mais prático. Nele, além do fluxo de caixa, você gerencia vendas, orçamentos, controle de contatos e cadastro de clientes.

2. Separe a conta pessoal da profissional

Ter um caixa exclusivo para sua empresa impede que você gaste todo o lucro com finanças pessoais. Imagine se você deixar todo o dinheiro na conta pessoal e usá-lo na rotina. Como você vai fazer para realizar os pagamentos da empresa (pagando de fornecedores, por exemplo)?

Outro problema é que a retirada de dinheiro sem programação não dá a você uma referência de onde está indo todo o lucro do seu negócio de fotografia.

Para que esse problema não aconteça, tenha duas contas: uma para você e outra para sua empresa. Quando conseguir calcular seu salário (ou seja, um valor suficiente para você se manter mensalmente e não comprometer as finanças da empresa), esse dinheiro deve ser transferido para sua conta pessoal.

3. Tenha um capital de giro

Quando você inicia sua empresa, deve separar o valor de investimento que provém do lucro, que serve para adquirir itens importantes para o seu trabalho (câmera, lentes, kit de iluminação, computador), e o capital de giro.

O capital de giro é o montante que será utilizado para suprir as futuras necessidades do seu negócio. Ele deve estar no caixa, no banco, nas contas a receber e em outros locais onde você possa investi-lo com segurança.

4. Faça um planejamento

Antes de iniciar o mês, você deve fazer um planejamento orçamentário. Ele é fundamental para ter uma média de quanto precisa para as despesas do seu negócio. Nele, deve entrar todos os gastos que pretende ter e qual a expectativa de lucro (e prejuízo).

Dessa forma, fica mais fácil se organizar financeiramente em meses de baixa demanda.

5. Calcule seu preço

Novamente, digo a você: nada de cobrar “baratinho”! Quem paga “baratinho” hoje não vai investir futuramente o valor que seu trabalho realmente merece. O importante é saber calcular o preço do seu trabalho.

Agora que você já sabe como se organizar financeiramente, pode levar o seu trabalho com mais profissionalismo! Mas para saber como transformar o seu sonho de fotografia em um negócio lucrativo, participe do meu Workshop Online e GRATUITO Como começar seu negócio de fotografia!

 

até a próxima

Silvia

GOSTOU?
Que tal compartilhar?
Share on FacebookPin on PinterestGoogle+

Comentários

comentários